Entrevista com o diretor de fotografia de Porta dos Fundos, Gui Machado


Escusado será escrever o que é o Porta dos Fundos, pois os mais de 1.650 mil inscritos no canal provam tanto a competência e dedicação de toda a equipe como que todo o mundo já conhece o canal. Eu, um seguidor assíduo do canal, senti-me na obrigação de procurar quem faz com enorme qualidade o trabalho de fotografia e conhecer um pouco da história do Gui Machado.

Gui Machado é jornalista e passou 3 anos em New York estudando fotografia, direção de cena e computação gráfica.
39616_101246483266434_5385352_n
HDSLR – Tem viajado e vivido em vários países e continentes. O que conseguiu aprender de diferente em cada um deles, ou todos trabalhamos igual?
Gui Machado – Com certeza, trabalhar na África me trouxe grande experiência e prática. Passei 4 anos, principalmente em Angola. África do Sul é uma excessão entre eles. Há um grande pólo de cinema na Cidade do Cabo. Fiz trabalhos em Portugal também, e são tão competentes quanto os profissionais brasileiros. Nos Estados Unidos a proporção é incomparável com outros lugares que conheci. Existe de tudo claro, mas geralmente as equipes são enormes e bem segmentadas.

HDSLR – Como foi trabalhar em Angola.
Gui Machado – As condições são péssimas e me transformei em um ótimo solucionador de problemas. Apesar de todas as dificuldades de produção, posso dizer que foi o lugar onde mais aprendi.

HDSLR – Quais filmes/comerciais se inspira
Gui Machado – Adoro bons enquadramentos e boas composições de cenas. Aliás, priorizo mais um bom quadro que uma boa luz. Observo tudo. Até no pior filme da pra tirar boas ideias, tecnicamente falando.
Porta dos Fundos
HDSLR – Como chegou no “porta dos fundos”
Gui Machado – Conheci o diretor, Ian SBF, em Nova York, em um trabalho onde estava fazendo a direção de fotografia. Por coincidência, ele me conhecia através de um vídeos virais do Brasil, que fiz em 2005, quando morava em Sampa, “Pão cu Manteiga”. Ele me falou do projeto do Porta e disse que seria ótimo se pudéssemos trabalhar juntos. Na mesma época recebi outro convite para dirigir a foto de uma série para o Multishow. Aceitei o convite e aproveitei pra mudar para o Rio. Combinamos de nos encontrar e o convite surgiu.

HDSLR – Ficou surpreso com o número de visualizações no youtube?
Gui Machado – Não. Pode parecer arrogante e pretensioso, mas o Porta dos Fundos é muito bem planejado, tudo muito bem pensado e feito por pessoas realmente talentosas. Acho que todos estavam esperando por uma repercursão grande.

HDSLR -Em média quanto tempo leva um vídeo do ‘ Porta dos fundos’ até ficar online?
Gui Machado – Depende muito do roteiro. Alguns 3 dias, outros 10, outros 15
579749_384178391678725_1731346822_n
HDSLR – Próximos projetos?
Gui Machado – Fotografar a quarta temporada do 220 volts do Multishow e continuar com o Porta.

HDSLR – Desde que iniciou a direção de fotografia manteve a mesma câmera ou vem atualizando?
Gui Machado – Acho que passei por todas as modas do DIGITAL. PD, DVX100, HPX 200, Mini 35, RED e as DSLRs, estas últimas ainda uso na maioria dos trabalhos que faço.

HDSLR – Quando descobriu e passou a usar as HDSLR?
Gui Machado – Ainda em Angola. Acho que em 2008 ou 2009 com a Nikon d90.
60883_350690195027545_323824271_n
HDSLR – Com que câmera e lentes fazem o Porta dos Fundos?
Gui Machado – Depende muito da produção, mas geralmente usamos a 5dm3 e todas as lentes entre 14mm e 400mm. Todas Canons e geralmente bem claras entre 1.2 e 2.8.

HDSLR – Que Picture Profile utiliza (utilizou)?
Depende do que a galera da finalização pede. Sempre converso com eles antes de qualquer coisa.

HDSLR -A edição é feita por você?
Gui Machado – Não, o Porta tem uma equipe de pós. Faço a animação gráfica de alguns, mas é raro.

HDSLR -Que programas você usa?
Gui Machado – Final cut, Avid, Color, After effects, Maya, Cinema 4d.
[youtube url=”http://www.youtube.com/watch?v=cts4gs2Xl6o”]

COMPARTILHE

4 COMENTÁRIOS